Pesquisar este blog

13 de jan de 2010

A Primeira Semana do ano: o Limite do caos e da vida humana

Até onde vai a dedicação de um funcionário? Até onde vai o “cumprimento do dever” e o gozar dos direitos? Qual é a linha que separa o certo do errado, o são do insano, a ética da falta de escrúpulos?
A SEE com certeza não se importa com nada disso. Enfrentamos uma primeira semana do ano que nenhum ser humano em sã consciência deveria admitir, mas fomos pressionados de maneira infernal, e com todas as adversidades alguns de nós conseguiram superar o “desafio” em tempo, outros chegaram perto, e outros se livraram graças aos direitos adquiridos pela remoção.

Não posso deixar de registrar minha indignação. Acompanhamos relatos de todo o estado, de pessoas trabalhando 12, 14 horas por dia, aos sábados e domingos, dormindo à base de calmantes, tomando remédios fortes contra dor, para cumprir um prazo ridículo para um serviço útil, mas com uma finalidade medíocre, de um governo idiota que se só pensa na eleição presidencial. E infelizmente, todo esse processo fez uma vítima. Uma colega de profissão, Ione, da DE Centro Oeste, com 30 anos de serviço, constrangida a ir à escola dentro do período de gozo de suas férias, devido ao elevado nível de stress por causa da pressão por parte da SEE, sofreu um infarto fulminante DENTRO DA ESCOLA, e veio a FALECER, FAZENDO A MERDA DA COLETA DE FREQUÊNCIA. E PRA QUE ISSO??? PRA MERDA DE UM PROFESSOR MEDÍOCRE TENTAR RECEBER 400 REAIS DE AUMENTO.

É Isso que vale uma vida? Um professor ter aumento de salário custa a vida de uma pessoa? Que governo é esse? Que Departamento de Recursos Humanos é esse??? Que Secretaria é essa, meu Deus? Como ficar indiferente diante disso? Claro que todos tem sua hora, não cabe a nós seres humanos determinar isso, não podemos determinar o limite da vida, mas o que fazemos durante ela.

Espero que o DRHU / SEE / Governo, sei lá quem, acorde pra ver que não somos escravos, somos seres humanos dignos e honrados, e não fantoches do circo deles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário