Pesquisar este blog

24 de dez de 2009

Recesso também no blog!

Olá amigos
Peço desculpas a todos que acompanham o blog Willypedia, pois devido ao recesso escolar e consequente descanso, rs, o blog provavelmente não terá atualizações neste período.
Obrigado a todos que estão seguindo, lendo e indicando, e toda ajuda é bem vinda.
Bom fim de ano a todos, e 2010 que venha com gás total.

22 de dez de 2009

Recesso Escolar: a cada ano, a velha briga de sempre*

Todo fim de ano surge a mesma questão de sempre: a escola deve fechar ou não? Os funcionários têm direito, ou têm de obedecer à determinação da Diretoria de Ensino?

O direito à dispensa de ponto no Recesso Escolar tem sua previsão legal na Lei Complementar Nº 577/1988, de 13/12/1988, no Decreto Nº 31.875 de 17 de julho de 1990 e na RESOLUÇÃO SE Nº 135, DE 27 DE JUNHO DE 1990.
A LC citada é de 1988 e estabelece a dispensa de ponto por 10 dias no recesso de julho. A Resolução SE 135/90 visou disciplinar melhor, e estabeleceu que durante o recesso escolar de JULHO, deveria ser estabelecida escala de trabalho que garanta a continuidade do atendimento administrativo, o que é totalmente coerente, visto que muitas escolas possuem EJA e há a necessidade de atendimento aos alunos deste tipo de ensino, pois o curso é semestral. Lendo a resolução, pode-se entender que os 10 dias de dispensa de ponto devem ser gozados dentro do mês de julho, porém não é assim na prática, muitos acabam gozando esse período em outro mês ou esporadicamente, tendo lançado na folha de pagamento o recesso de acordo com o calendário escolar, orientação essa da maioria das DE’s – ou será de todas???
Bem, a questão não é nem tanto o recesso de julho, mas sim o de dezembro. O Decreto citado data de 17 de julho de 1990, ou seja, ele é POSTERIOR à Resolução da SE. Logo, ele é superior a ela, não só por ser um Decreto, porém mais ainda por ser posterior à Resolução SE. O Decreto estabelece que as escolas não funcionarão durante o recesso escolar de julho e o período compreendido entre o natal e o 1º dia do ano subsequente. Sobre o recesso de julho já falamos, não adianta brigar muito por causa do atendimento ao EJA, agora sobre o recesso de dezembro, a Resolução não especifica o mês de dezembro.
Temos todo o embasamento legal para gozar do recesso. Como é um decreto governamental, só o governador do Estado pode convocar alterar, ou seja, se o governo atual ainda não o revogou, Dirigente Regional de Ensino não tem poder para convocar os funcionários a trabalhar. Tal ato pode ser contestado até mesmo judicialmente, visto a legislação pertinente. Embora haja o ônus da confirmação do BIF ser bem no meio do recesso, é a única coisa que o secretário tem a fazer, e que atualmente pode ser feito através do site do GDAE, podendo ser acessado facilmente por qualquer computador.
Não aceite “terrorismos” e decisões arbitrárias, muitas vezes os superiores de aproveitam que alguns funcionários são novos e pensam que podem “dobrá-los”. Não esqueça que assédio moral é crime.
Se o serviço está em ordem, aproveite o recesso sem culpa.


*Postagem baseada nas discussões do Grupo Secretários de Escola do Yahoo! sobre o assunto.


21 de dez de 2009

OFF: Agradecimentos especiais

Abro um parêntese no blog para registrar agradecimentos especiais a duas colegas de profissão.
A primeira é a Caroline, Secretária de Escola da minha DE, que carinhosamente me enviou um mini-chocotone numa latinha muito linda, comi e guardei a latinha, claro! Ela me enviou via caixinha da DE, adorei! Muito obrigado mesmo!
A segunda é a Maria Clara, Secretária de Escola em Avaré. No sábado eu saí com p pessoal do Motoclube que eu faço parte, para entregar brinquedos para crianças carentes. Quando chego em casa de volta, isso quase 1 da madrugada, tinha um pacote azul em cima da minha cama... e qual naõ foi minha supresa, ao abrir e econtrar um cartão e um CD do U2! Fiquei sem palavras!
Obrigado minhas amigas, porque hoje posso chamá-las assim, e dou graças a Deus por ter encontrado no meu meio profissional pessoas que já deixaram de ser colegas de trabalho, mas verdadeiras AMIGAS.

Muito obrigado, e que Papai do Céu dê a vocês infinitamente mais do que vocês imaginam!

18 de dez de 2009

SAF – Sistema de Avaliação e Frequência: só serve para emitir boletim? Poderia servir pra muito mais...

O Sistema de Avaliação e Frequência – SAF – foi criado em 2007, com a finalidade de emitir um boletim padrão para todas as escolas da rede pública da SEE, sendo possível também seu acesso via internet. Primeiramente foi testado em um projeto piloto junto a algumas DE’s e posteriormente implantado em todo o estado. Foi uma grande novidade, que ainda pode melhorar – e muito.

Inicialmente, a responsabilidade para alimentar o sistema foi passada para o Secretário de Escola. Algumas escolas usaram de bom senso e deixaram os Professores Coordenadores incumbidos de tal tarefa, porém a cobrança, se tivesse viria sobre o secretário, afinal o PC não faz parte da equipe da secretaria.
Diferente do Professor na Classe, o sistema não apresentou bugs, funcionando praticamente redondo desde sua implantação. Porém no ano de sua implantação, houve uma pressão extrema para que a digitação de 2 bimestres fosse feita de forma a cumprir um prazo curto. Na época, trabalhava em uma escola grande, fiquei uma semana inteira trabalhando das 07:00 às 23:00, fiquei com o braço e a mão direita inchados de tanto digitar. Ainda recebi uma visita da supervisão, que ficou abismada com meu estado, e ainda assim, continuava digitando. Além do mais, a forma de digitação poderia ser melhor trabalhada. Ao invés de ser disciplina por disciplina, poderia ser por aluno, como na ficha individual do aluno, o que seria muito mais rápido e lógico.
Lá se vão praticamente 3 anos de implantação do sistema, e resta a indagação: Ele só serve pra isso? Emitir boletins e mapão/lençol? Na verdade, ele poderia servir para muito mais...
Com a base de dados da SEE, atualmente seria totalmente possível através de um simples cruzamento de dados a emissão de históricos e de ficha individual do aluno diretamente da interface do GDAE. Afinal, lá já tem tudo: calendário letivo, Matriz Curricular, notas e faltas. Também seria possível, cruzando dados com o Professor na Classe, que cada professor fosse responsável por digitar as notas e faltas de suas turmas, ficando a cargo da secretaria a supervisão do sistema e a impressão dos documentos necessários.
A base de dados da SEE é excelente, porém tem um grande e crucial defeito: NÃO HÁ CRUZAMENTO DE DADOS. Um sistema não “conversa” com outro, cada um trabalha de forma isolada. Será que um estado que é capaz de criar um sistema de atendimento a população como o Poupatempo não poderia simplesmente adequar seu sistema para cruzar dados?
Claro que tudo não se muda do dia pra noite. Parte do que citei aqui já é matéria de estudo por parte da SEE, o que esperamos é que não fique só no estudo. Um sistema informatizado e integrado garante agilidade e qualidade no serviço prestado, e economia para o governo. Espero que os 100 milhões de reais que a SEE pretende economizar sirvam para a melhoria dos nossos sistemas de trabalho.

17 de dez de 2009

Motivação do dia (ou da noite), e futuras seções do Blog



Mais um vídeo pra dar pique nesse fim de ano.

Atenção!!!

Breve, seções fixas no blog:
-Torre de Babel: as diferenças de procedimentos de uma DE para outra, para chegar no mesmo objetivo. A falta de uniformização que deixa muita gente louca.
-Mamadeira do dia (ou da semana, a decidir): dicas práticas para quem ainda está perdido, mas essa seção se converterá em Papinha do Dia, Mingau do Dia, até chegar na Feijoada do Dia! E dependendo da verba do blogueiro pra comprar os ingredientes.
-Pérolas da Educação: Situações do dia-a-dia que seriam cômicas se não fossem trágicas, ou vice-versa!

Mande suas sugestões! Como disse, esse espaço será construído de maneira inusitada!

A importância da leitura da Legislação

O trabalho de Secretário de Escola exige conhecimento e aplicação de diversas leis. A legislação referente à Educação e ao Serivço Público são as nossas ferramentas de trabalho. Por isso, é de suma importância o conhecimento delas, para não sermos pegos de calças curtas. Não estou dizendo que há necessidade de saber a lei na ponta da língua, mas uma vez que você ao menos leu, saberá onde encontrar sobre aquele assunto quando precisar.
Segue lista de algumas leis que são a base de todo o nosso serviço. Basta clicar sobre o nome da lei para ter acesso.


Lembrando que a legislação citada acima é a base, existem decretos e resoluções que a regulamentam e a complementam, por isso é de suma importância acompanhar as Resoluções da SE, as deliberações do CEE e os decretos do Governador, através do Diário Oficial e dos sites dos órgãos. 

16 de dez de 2009

Um vídeo pra motivar



Presentinho pra animar quem está sem pique. Reflita na letra da música.

Sistema Professor na Classe: Por que não funciona como deveria?

O Professor na Classe é uma funcionalidade do PAEF/PAEC que foi criada no 2º semestre de 2007, com o objetivo principal de oferecer aos pais de alunos uma consulta on-line ao nome dos professores que lecionavam aos seus filhos, através de um link no site da Secretaria da Educação. Não se sabia se iria influenciar em pagamento dos docentes. Porém o programa traz um benefício a mais: é possível verificar se a atribuição de aulas ao docente não foi feita de maneira incorreta, divergente da Matriz Curricular da escola.
Ainda em 2007, foi feito um "beta-test" em grande escala, para testar a funcionalidade do sistema, e apareceram os primeiros erros. Nesta época, cada escola era responsável por informar as classes de seus professres, mesmo que não tivesse SCF em sua escola. Porém, com esse teste, foram constatados os primeiros bugs, como a Educação Física e Artes do Ciclo I, ACD, Recuperação Paralela, entre outros. Sem contar que, se uma escola não digitava, travava todo o sistema da outra.
Em 2008, a coisa começou a melhorar, porque a SCF passou a ser a única responsável por incluir as informações, mediante um BO específico enviado pelas outras escolas, o bug das ACD e do reforço foi corrigido. Porém, o sistema necessita de 2 fontes de dados para funcionar "redondo": a Matriz Curricular incluída no PAEC/PAEF pela Diretoria de Ensino e as classes no Cadastro de Alunos, sendo que tais informações devem "casar", senão o sistema não funcionará. E o pior de tudo é que na atribuição inicial o sistema não estava aberto, ou seja, quando ele abriu, 3 meses depois da digitação da carga inicial, foi que começaram a aparecer os erros de digitação da atribuição inicial...
Em 2009, a esperança era que o sistema estivesse aberto junto com a atribuição inicial. E finalmente estava, PORÉM, as Diretorias de Ensino não haviam incluído as Matrizes Curriculares no PAEF/PAEC, fato que impossibilitou a digitação simultânea com a carga inicial, sendo que só foi possível começar a incluir o Professor na Classe em meados de maio... Antes disso, já havia no Grupo Secretários de Escola o singelo movimento "MORTE AO PROFESSOR NA CLASSE". E pensamos mesmo que ele tinha morrido, quando agora no final de 2009 o DRHU envia um relatório kilométrico às escolas para regularização das pendências.
O fato é que houve ingresso de novos secretários efetivos no 2º semestre de 2009, sendo que a grande maioria nunca havia trabalhado em uma secretaria de escola. Além da novidade do serviço e falta de treinamento, muitos ainda se depararam com a extrema má-vontade dos antigos secretários designados, que não se conformaram em perder sua "boquinha".
Estamos nos últimos dias de trabalho do ano, e muitas DE's estão sufocando os secretários novos, pressionando pela conclusão da digitação. O fato é que ainda existem bugs, e cargas pendentes de outras escolas, o que ainda trava o sistema Professor na Classe. Em 3 anos, e em 2 escolas diferentes, até hoje não consegui fechar o sistema completamente.
O sistema depende que cada um faça sua parte. Não adianta de nada a pressão dos superiores, se eles não fizeram sua parte no tempo adequado. O sistema só funcionará corretamente quando ele estiver aberto simultaneamente com a carga horária inicial, sendo obrigatório as DE's incluírem as Matrizes Curriculares antes do início da vigência da carga inicial do ano, e que a associação das turmas seja obrigatória, juntamente com a carga. Caso contrário, os bugs continuarão, a pressão por parte das DE's continuará e o Secretário de Escola ficará cada vez mais com estafa físico e mental.
Como disse um amigo certa vez no Grupo Secretários de Escola, quem cria esses sistemas nunca deve ter ao menos entrado, quem dirá trabalhado em uma secretaria de escola.
Por isso, faça o que for possível. O que é impossível a gente ainda não faz, nem por determinação do Dirigente ou do DRHU.

15 de dez de 2009

Novos secretários e o fim de ano

Resta praticamente apenas mais uma semana de serviço e muito serviço. Matrícula em continuidade 2010, digitação de notas no SAF, mais um BFE e um BIF (com batatas, por favor!), sem contar a loucura do famigerado "Professor na Classe".
Qual a solução? Sentar e chorar? Sei que dá vontade, mas isso seria entregar os pontos. E isso é o que a ralé da Educação quer. Que todos que estão num cargo por competência e merecimento se ferrem, pra eles que não tem competência voltarem para seus cargos criados pelo "dedômetro", que trabalha há anos nessa função e ainda assim não tem capacidade de passar num concurso público da área.
Por isso deixo uma mensgem de ânimo aos ingressantes efetivos de 2009: VOCÊS TEM A FORÇA. Que se exploda os "ex", aqueles que tem caráter continuam trabalhando e apoiando os que precisam, agora os descarados que se achavam maiorais, que morram de dor de cotovelo, pois O CARGO É DE VOCÊS.
O começo é difícil, mas não desistam. O deserto pode virar um lindo jardim. Basta você fazer por onde.

Aqui começa a Willypedia

Bem vindo à Willypedia. Esse espaço da web será construído aos poucos, da forma mais inusitada possível. Sinta-se à vontade para abrir a geladeira e pegar um suco, sentar no sofá e assistir um filme. Só não arrote alto, por favor!


Tudo tem um ponto de partida. Esse é o meu.